terça-feira, 24 de janeiro de 2012

COMO VENCER A SOLIDÃO


   Onipresença é um dos atributos da Divindade. Isto significa a capacidade de estar em todos os lugares ao mesmo tempo.
   Antes de se submeter ao processo da Encarnação e nascer do ventre da virgem Maria, o Senhor Jesus abdicou temporariamente do direito de usar esse atributo, a fim de se fazer semelhante aos seus irmãos, Hb 2.17.
   Declarar que Jesus era onipresente, enquanto aqui na Terra equivale a dizer que nós, seus seguidores, também o somos.
   Ele chegou à casa de Marta e Maria no quarto dia após a morte de Lázaro, visto estar em outro lugar..
   No entanto, logo após Sua primeira dia aos Céus após haver ressuscitado, Ele recebeu de volta Sua onipresença, das mãos do Pai (Mt 28.18) e assim continuará por toda a Eternidade.’
   Ele prometeu estar conosco todos os dias, at[e a consuma;ao dos séculos, Mt 28.20.
   O fato do Cristo Ressurreto ser onipresente significa que Ele é Deus e as Escrituras dão testemunho abundante de Sua divindade, I Jo 5.20, Rm 1.3,; Is 9.6, etc.
   A Igreja de Cristo precisa não apenas saber que Cristo é Onipresente, mas também deve torar proveito disto, ou seja, deve cultivar no seu dia-a-dia esse maravilhoso atributo.
   Cristo está presente nos momentos festivos, quer dizer, nas horas de alegria, como nas bodas de Caná, no último dia da festa (Jo 7.37), na casa de Zaqueu, etc., etc. Sua presença assegura momentos de indizível bem-estar e felicidade.
   Ele também está presente quando a enfermidade invade nosso corpo ou nosso lar, Mt 8.17; 14.35; Jo 5.5. Ele é o Médico dos médicos e é especialista em todas as enfermidades. Ele não possui meramente o remédio. Ele é o Remédio Divino para todos os que padecem de dores, moléstias e enfermidades..
   Ele está presente em nossa área de trabalho, a fim de nos manter alegres, estimulados e esperançosos. Ele nos defende de acusações de maus companheiros. Ele nos acompanha desde o sair de casa até o regressar. Mt 14.22-27; Lc 5.5,6.
   A presença de Jesus é garantida em momentos críticos, como em casos de prisão e/ou  perseguição, Jo 20.19; At 11.22-26; At 12.5,6,7,8,10,11; II Co 12.10. Foi Ele quem providenciou a abertura das prisões no cárcere de Filipos.
   Jesus está presente na hora da morte. Quando as lágrimas afloram, devido a perda de um ente querido, Ele é quem primeiro nos assiste e consola. E então nos assegura, uma vez mais, a promessa infalível e a esperança iniludível da ressurreição. Lc 8.50-56; 7.12; Jo 11.38-44.
   Não percamos a visão da onipresença de Cristo. Ele está conosco aqui e agora e conosco estará por toda a eternidade, Sl 23.6.
   O mais importante não é vê-Lo, senão ser visto por Ele.
   Nós nunca estamos fora do alcance de Seus olhos, que são como chama de fogo. Ap 1.14.
   Nunca se sinta sozinho, pois Sua promessa é totalmente verídica e profundamente enfática: Não te deixarei, nem te desampararei. Hb 13.5.
   A onipresença de Cristo é a cura perfeita para a solidão.
   É de todos sabido que a doença que atinge o maior número de pessoas atualmente é a solidão cósmica. Isto significa alguém estar rodeado de centenas de pessoas e sentir-se totalmente desamparado e só.
   Certo escritor declarou que o sentimento da solidão cósmica  procede menos de um tormento subjetivo do que da sensação de abandono deste mundo, de um vazio objetivo, como se o mundo tivesse perdido subitamente todo o brilho para evocar a monotonia essencial de um cemitério.
   A ausência de Cristo na vida de qualquer pessoa produz um vácuo impossível de ser preenchido, a não ser por Ele mesmo.
   A comunhão com Cristo é a doce experiência que gera um sentido novo e único à vida.
   Milhares recusaram essa comunhão ou dela nunca ouviram falar e por issso, no ápice de uma crise existencial, perderam toda a vontade de viver e entraram na rua estreita do suicídio, absolutamente sem retorno.
   Os discípulos no caminho de Emaús fizeram um pedido que tem inspirado poetas e compositores de todos os tempos: Fica conosco, Senhor, porque o dia já declinou.
   Não permita que a lúgubre escuridão que resulta da ausência de Cristo roube de sua vida o prazer de amá-la.
   Se você já pertenceu à Igreja de Cristo e dela se afastou, faça a oração da sunlamita do livro de Cantares: Antes que refresque o dia e fujam as sombras, volta, amado meu”, Ct 2.17.
   Cristo não é limitado. Ele é Onipresente.
   Desfrute de Sua presença agora, mais tarde e para sempre.

2 comentários:

DERRAMANDO FOGO disse...

a paz do senhor.
PASTOR POSSO POSTAR ALGUMAS PREGAÇÕES DO SENHOR EM MEU BLOG?
EU ACHEI UMAS NO YOUTUB SE O SENHOR PERMITIR. FICAREI FELIZ AMEM
MANDE UMA RESPOSTA POR FAVOR MEU BLOG É www.ministerioderramandofogo.blogspot.com
ou falecom.jose@hotmail.com
desde ja te agradesço

DERRAMANDO FOGO disse...

que DEUS continue te abençoando em nome do SENHOR JESUS