sábado, 27 de fevereiro de 2010

HOUVE UM TEMPO

Houve um tempo em que os crentes oravam. Nesse tempo Deus abria as portas das prisões e os Ministros de Deus eram soltos sobrenaturalmente.
Houve um tempo em que os compositores produziam canções ajoelhados, enquanto tinham visões do Céu. Nesse tempo apareceram hinos como RUDE CRUZ, CASTELO FORTE, QUÃO BONDOSO AMIGO, QUE SEGURANÇA - SOU DE JESUS e outros.
Houve um tempo em que os pregadores liam muito a Bíblia e se preparavam diante de Deus para ministrarem a santa Palavra. Nesse tempo surgiram Moody, Spurgeon e Finney, para só mencionar 3.
Houve um tempo em que o povo de Deus jejuava. Nesse tempo Hamã era enforcado e Mardoqueu exaltado.
Houve um tempo em que os evangelistas criam nos dons do Espírito e os recebiam. Nesse tempo Samaria inteira se alegrava e vinha aos pés do Salvador.
Houve um tempo em que a Igreja se reunia diariamente no templo e nas casas. Nesse tempo o Povo de Deus crescia cada vez mais e as decisões se contavam aos milhares.
Houve um tempo em que mentir era pecado. Nesse tempo Ananias e Safira morreram instantaneamente.
Houve um tempo em que os púlpitos eram usados com temor e tremor. Nesse tempo os ouvintes de Jonathan Edwards eram grandemente impactados pela visão inquietante dos pecadores nas mãos de um Deus irado.
Houve um tempo em que os profetas não temiam as ameaças do Poder Público, por não estarem com ele mancomunados. Nesse tempo os leões perderam a força e não puderam destruir o profeta..
Houve um tempo em que a reverência no culto era plena e abundante. Nesse tempo a glória do Senhor se manifestava e os ministrantes nem sequer podiam manter-se de pé.
Houve um tempo em que não havia estrelas piscando no firmamento do culto sagrado. Nesse tempo somente brilhava o Sol da Justiça.
Houve um tempo em que não havia jogo de luzes nos cultos de celebração da Igreja. Nesse tempo a Igreja não tinha prazer pela escuridão.
Houve um tempo em que a fé era aliada incondicional da coragem. Nesse tempo um jovem podia derrotar o maior dos gigantes do lado inimigo.
Houve um tempo em que os ministros gozavam de total credibilidade perante a Congregação. Nesse tempo o povo ia à Casa de Deus e depositava muito dinheiro aos pés dos apóstolos.
Houve um tempo em que os ouvidos dos santos estavam abertos à voz de Deus. Nesse tempo o Espírito podia falar à Congregação e apontar os ministros por Ele escolhidos.
Houve um tempo em que os apóstolos não tinham ouro, nem prata; Nesse tempo eles podiam dizer ao paralítico: Em nome de Jesus, levanta-te e anda.
Houve um tempo em que ser fiel era a maior glória de um Obreiro. Nesse tempo Paulo podia dizer: “Sede meus imitadores, como eu sou de Cristo”.
Houve um tempo em que não havia politicagem, nem barganha, nem escamoteação nos encontros ministeriais. Nesse tempo os líderes podiam declarar: “Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós”.
Houve um tempo em que os ministros não recebiam favores da casa real nem abocanhavam as verbas oficiais que amordaçam. Nesse tempo eles viviam e atuavam como “despenseiros dos mistérios de Deus”.
Houve um tempo em que recordar o passado não era tido por saudosismo nostálgico. Nesse tempo ecoava a voz da Escritura: Lembrai-vos dos dias antigos.
Houve um tempo – que poderá voltar, se nos envergonharmos do nosso tempo e pedirmos de volta o tempo melhor, que certamente não demorará a emergir.
Nesse tempo estaremos com certeza preparados para a volta triunfante do maravilhoso e único Salvador.

9 comentários:

Márcio Cruz disse...

A Paz do Senhor Ir. Geziel!

Gostaria com muita humildade e com sua permissão colocar um último tempo em seu texto:

- HOUVE UM TEMPO em que os crentes ouviam sábios conselhos e o seguiam.

Jesus continue lhe abençoando em sua vida, família e ministério.


Em Cristo,

Ir. Márcio Cruz

DONATO ARAÚJO disse...

Prezado PR. GEZIEL GOMES, sem dúvida alguma, este foi um dos mais belos textos que o SR já publicou em seu magnífico blog. Receba meu respeito e minha profunda admiração cristã. Um grande abraço da ''FAMÍLIA DVD'' (Donato,Viviane e David).

Pb. Fernando Cardoso disse...

Paz do Senhor...

Não resta acrescentar senão apontar dois pedidos.

Um de Jeremias: "renova os nossos dias como dantes"
Um de Habacuque: 'Aviva ó SEnhor a tua obra no meio dos anos"

AD DO ALMERINDA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
GLAUKO SANTOS disse...

Prezado amigo, Pastor Geziel:
Paz do Senhor.
Não podemos negar que os tempos passam e deles ficam seus rastros. Assim como a dinâmica do cumprimento profético sobre eles permanece vívida e valendo. Todos podemos ver que carecemos avançar para o futuro nos posicionando firmes no presente e atrelando-nos sempre no passado com seus marcos antigos. Quem assim segue, dificilmente perde-se no rumo proposto. Pb. Glauko Santos - São Gonçalo-RJ.

IGREJA MISSIONÁRIA CANAÃ disse...

Paz seja contigo!
Este é o tempo de regressar-mos ao primeiro amor. e voltar-mos a ser centes de verdade. Desculpe-me a expressão coloqui9al: " Estou dentro" rsrsrsrsrsr...
O Glória Deus ainda existe esperança.
Pr. José Geraldo - Duque de Caxias RJ

francisco disse...

Houve um tempo que nao havia titulos diferentes como Bispos,apostolos,arkanjos e vices-Jesus na igreja
Houve um tempo que antes dos crentes crerem em algum milagre eles haveriguavam se o milagreiro era ortodoxo
Houve um tempo que ministros do evangelho nao apareciam na tv distorcendo textos biblicos para manipular a mente dos ouvintes a doarem muito dinheiro para seu bel prazer
Houve um tempo em que ser cabeça e nao cauda era justamente ser paciente, suportar a prova e esperar a providencia divina, hoje quem da muito dinheiro recebe uma unçao especial
Houve um tempo que as pregaçoes eram puramente biblicas respeitando as regras de interpretaçao e nao na imaginaçao humana
Houve um tempo que tudo era diferente

joao disse...

Caro Pastor Jeziel. A Paz do Senhor. Houve um tempo, na Escola Bíblica para Obreiros em Curitiba,Pr Onde tive o privilégio de, assentado, ouvi-lo e muito aprender. Hoje, desfruto das edificantes leituras de seu blog e o aprendizado continua. Que Deus lhe conceda muitos anos para que continue sendo uma benção para nós.
Em Cristo, Pr João Ferreira.

joao disse...

Caro Pastor Jeziel. A Paz do Senhor. Houve um tempo, na Escola Bíblica para Obreiros em Curitiba,Pr Onde tive o privilégio de, assentado, ouvi-lo e muito aprender. Hoje, desfruto das edificantes leituras de seu blog e o aprendizado continua. Que Deus lhe conceda muitos anos para que continue sendo uma benção para nós.
Em Cristo, Pr João Ferreira.