sábado, 31 de julho de 2010

TENTANDO FUGIR DOS EXTREMOS

Extremo a: o programa do culto inclui doze hinos e a mensagem somente pode durar 15 minutos. Extremo b: o programa inclui apenas 2 curtos corinhos e a mensagem duas horas. A Igreja precisa louvar!

Extremo a: o pregador itinerante exige hotel de seis estrelas, toalhas de griffe e come todos os chocolates que encontra no apartamento; extremo b: a Igreja reserva um apartamento em um hotel de 2 estrelas apagadas, e ninguém se lembra de verificar se existe ar-condicionado funcionando.

Extremo a: o itinerante requer dez mil reais para atender um compromisso de duas noites e prega duas mensagens que o Brasil inteiro já conhece; extremo b: o itinerante deixa o líder que o convidou para lhe dar o que Deus tocar, e ele lhe dá uma oferta de 400 reais, depois que o pregador ficou horas a buscando e recebendo uma nova e reveladora mensagem do Céu.

Extremo a: o pastor é sisudo e evita se aproximar das ovelhas, a fim de “não perder a autoridade”; extremo b: o pastor conta piadas a toda hora para os seus auxiliares e ninguém lhe dá o menor respeito.

Extremo a: o pastor recolhe duas ofertas a cada culto, sempre depois de fervorosos mini-sermões; extremo b: com medo de ser censurado, o pastor nunca fala de ofertas e a tesouraria não tem dinheiro sequer para comprar o pão da Ceia.

Extremo a: o pastor se veste extravagante e luxuosamente diante das ovelhas de uma congregação onde todos não vão além do salário-mínimo e se sentem insultadas; extremo b: para parecer “santo” ou “espiritual” o dirigente vai para o culto com roupas amassadas e puídas, e o espírito de prosperidade foge da congregação.

Extremo a: o pastor deseja formar obreiros novos e passa 3 meses sem pregar. Extremo b: o pastor prega muito bem e não dá qualquer oportunidade para futuros e prováveis obreiros, pelo que perde todos os vocacionados, que vão embora.

Extremo a: O pastor quer que a Igreja seja alimentada abundante e diversificadamente, pelo que durante os 52 meses do ano ele convida 50 pregadores de fora. Extremo b: o pastor tem receio de perder o posto, então passa dois anos sem convidar um só para visitá-lo e abençoar a igreja.

Extremo a: o pastor tem um grande amor a sua família e sai com ela 3 vezes por ano, em um mês de férias cada vez. Extremo b: o pastor é apaixonado pela Igreja e sai com sua família de cinco em cinco anos.

Extremo a: o pastor precisa de unção, então nunca lê jornais, etc e vive totalmente distanciado do que passa no mundo ao seu redor. Extremo b: o pastor quer se manter atualizado e passa 7 horas por dia diante da TV, dos jornais, do rádio e da Internet.

Extremo a: com medo de ser contaminado com vírus do meio político o pastor se nega terminantemente a tudo, e até mesmo a dar um palavra sábia de orientação sobre os candidatos, etc. Extremo b: o pastor vira um cabo eleitoral e na época de eleições transforma o púlpito sagrado em plataforma de comícios.

Para evitar que Josué se comprometesse com os extremos, o Senhor lhe disse: “Não te desvies: nem para a direita, nem para a esquerda”.

5 comentários:

Irmao Tiago disse...

O equilibrio e uma caracteristica que todo cristao deve buscar.....Amen, gostei muito Ap Gesiel, sigo sempre seu blog, e me inspiro totalmente em Jesus. !!!
Deus lhe abencoe muito.
irmao Tiago

misteriosecuriosidadesbiblicas.blogspot.com

Pb. Glauko Santos disse...

Caro irmão em Cristo, Pastor Geziel:
Paz seja com o amado!
Passando por estas horas neste espaço, venho parabenizá-lo pelo novo "design" do seu blog. Já cliquei na opção de sugestão.
Também o excelente conteúdo do artigo. Muito apropriado e oportuno em face de algumas deficiências e excessos que nos deparamos na obra de Deus. Felizmente ainda existe muito boa gente movendo-se equilibradamente entre os parâmetros, entretanto posso dizer que ainda tenho encontrado infelizmente alguns nos extremos citados. Poucos, mas notadamente alguns! Que o nosso Eterno Senhor continue concedendo-lhe muita graça e poder de Deus, muita unção do Espírito, muita saúde, ricas oportunidades e sucesso em Cristo. PbGS - Pb. Glauko Santos.

filipe disse...

paz do Senhor pastor...gostei...
é justamente isto q esta acontecendo em muitas igrejas, falta de temperança para tudo...
admiro muito seu ministerio pastor,
é o unico pregador q eu me inspiro nas pregaçoees
paz pastor abraço
dc. filipe

Irmao Tiago disse...

Pr Gesiel,

Corrigindo seu texto louvavel. sao 52 semanas e nao meses...somente uma observacao.

Meu pai Pr Obed Edon manda Abracos.

REGY SALES disse...

A paz do senhor

já estive em seu blog comentando as suas postagens edificantes. Mas hoje gostaria de pedir sua autorização par está publicando em meu blog este texto que me encanta:" A glória de perder e a tragédia de ganhar".

Aguardo vossa autorização.
Em Cristo,
Regy sales.