terça-feira, 27 de abril de 2010

ENTRE ASPAS (2)

Acabei de receber a matéria que a seguir transcrevo, que me foi enviada por um jovem pregador do Evangelho, Pr Alessandero Cassiano, a quem conheço desde o tempo em que fui seu pastor, na AD da Ilha do Governador, RJ. Ele tem se revelado um pregador comprometido com Deus e com Sua preciosa e inerrante Palavra.




24/04/2010 - 18:03 | Enviado por: Migliaccio
Foi um tsunami diferente. Bem carioca. Em vez de água, na última quarta-feira as ruas da cidade foram inundadas por ônibus. Entraram por todos os lados, vindos dos quatro cantos do estado do Rio em pleno feriado de Tiradentes. O mar de mais de 1 milhão de evangélicos confluiu para a Enseada de Botafogo, onde a Igreja Universal do Reino de Deus promoveu mais uma de suas maratonas de louvor.

Não vou ficar perguntando de quem foi a culpa pelos engarrafamentos gigantes que incomodaram tanto. Vale mais refletir sobre a força desse movimento, que na verdade mostra a pujança do ser humano.

Já fui a um culto da Universal, na Catedral da Fé, uma imponente construção em Del Castilho (Zona Norte). Foi na época da eleição municipal de 2008. A ordem no jornal era averiguar se havia algum tipo de proselitismo político durante a celebração – Marcelo Crivella, bispo licenciado e senador, era um dos candidatos a prefeito.

Não constatei nenhuma menção eleitoreira no interior da catedral. No máximo, alguns cabos eleitorais de candidatos a vereador ligados à igreja distribuíam santinhos e seguravam cartazes do lado de fora. Na calçada, onde a lei permite.

Lá dentro, vi ao vivo o que já tinha assistido nos programas de TV. O mesmo discurso dos pastores, invocando trechos bíblicos, batendo forte na tecla da autoestima e, no final, pedindo aos fiéis que deixassem suas contribuições para a obra. Confesso que no momento em que o pastor pediu doações de R$ 20 mil reais me assustei. Era um culto destinado a pequenos e médios empresários em dificuldade. Ninguém foi ao palco deixar o polpudo donativo, e o pedido foi baixando até chegar a R$ 50, momento em que várias pessoas se levantaram e ofereceram seu sacrifício financeiro na esperança de ter melhor sorte no futuro. A vinculação fé-prosperidade é a tônica das pregações.

De outra vez, eu passava em frente ao templo da Universal na Nossa Senhora de Copacabana, por volta das 7h. Havia um culto lá dentro e vi que um mendigo, imundo, muito sujo mesmo, e alcoolizado, se dirigia para a porta de entrada. Parei para ver se o obreiro iria barrá-lo. Que nada, o homem entrou sem ser importunado. Como ele, muitos devem ter chegado à Universal naquele estado e se recuperado. O obreiro devia saber disso. Como os outros, aquele mendigo poderia em breve ser mais um membro do rebanho de Edir Macedo.

Acho que o ovo de Colombo dos líderes evangélicos foi descobrir que todo ser humano precisa ouvir palavras que o façam acreditar em si mesmo. Os cultos exploram essa neurolinguística, oferecem injeções de otimismo em doses cavalares. É isso que os pastores dão a seu rebanho: pensamento positivo e autoconfiança. Não é pouco para pessoas cujo cotidiano se resume a trabalho pesado, salário insuficiente, moradia indigna, família desagregada, vizinhança perigosa e saúde combalida por tanta infelicidade. Essas pessoas precisam tão desesperadamente acreditar em algo que não têm olhos para reparar se o pastor é canastrão.

As palavras bíblicas são muito poderosas, afinal séculos e séculos de perenidade lhes conferem autoridade. Nas igrejas evangélicas, pessoas que nunca tiveram disciplina adquirem um norte, mudam velhos costumes. Abandonam drogas pesadas, resistem ao apelo do álcool, sossegam o facho e reconstroem casamentos nos quais ninguém apostava mais um centavo.

Esse poder não está nos pastores, nem nessa ou naquela denominação. Quem se levanta do fundo do poço é o ser humano, cuja força interior é ilimitada.

Nenhum crente se preocupa muito em saber se o pastor lá na frente acredita naquilo que prega com tanta ênfase. Tentativas de derrubar o império da Universal foram muitas e não deram em nada. A igreja só cresceu apesar dos ataques e denúncias que volta e meia afloram na mídia e ecoam no Judiciário. De nada adiantam vídeos comprometedores, porque os fiéis aprenderam que quem vai contra Deus é o Diabo e estão mais preocupados em reconstruir suas próprias vidas. O que, aliás, é mérito exclusivo de cada um deles, e não de bispo ou pastor.

5 comentários:

Pb. Glauko Santos disse...

Caro irmão em Cristo, Pastor Geziel:
A paz do Senhor.
Em meio a tantas críticas e críticos, preferimos permitir que a Noiva se expresse. Preferimos admirar a sublime fala do Espírito do Noivo que prepara e atavia a Noiva para logo em breve ser levada a encontrar-se com o seu Noivo nos ares, apesar das mais contenciosas críticas e insatisfações que o sistema do mundo emite sobre ela. A formosa subirá e entrará na recâmara de seu Noivo, ainda que o sistema falido do mundo se ocupe a criticá-la. PbGS - Pb. Glauko Santos, São Gonçalo-RJ.

francisco disse...

Pastor gostaria de saber se conhece esse pregador americano e se prega a verdade!

http://www.youtube.com/watch?v=J34BKJet43Q

conhece o blog www.voltemosaoevangelho.blogspot.com ?

Mar disse...

uma igreja que apoia o abordo e distribui camisinha sei não irmão.
e que sua televisão pormove todo tipo de sujeira que tem na globo misericordia mais faz tempo que não olho para os rotulos e sim para Jesus Cristo da Biblia.
esse louvor diz tudo
Ministração poderosa do Judson Oliveira!
http://www.youtube.com/watch?v=36t9xGfRDik

Mar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pb. Glauko Santos disse...

Volto a propósito para comentar uma vez mais que o termo IGREJA não é igual e nem assemelha ao termo DENOMINAÇÃO. Infelizmente o ressentimento e a frustração assumem raizes daninhas que na verdade se sobrepõem às raízes de fé verdadeira, fazendo com estas se tornem pouco capazes e hábeis para exercer o discernimento sóbrio. Jamais encontraremos respostas para nós mesmos, simplesmente pelo fato de nos esquivarmos e nos afastarmos da comunhão com os irmãos. Ao contrário, é convivendo e participando que obtemos clareza de visão e discernimento enquanto nossas estruturas de fé e de vida vão sendo afinadas e aperfeiçoadas diante do Senhor, pela Palavra e pela prática dEla. Não devemos nos permitir estarmos ressentidos e frustrados com denominações. Devemos estar ligados à Videira Verdadeira e permanecermos nEla, vivendo com os irmãos, servindo aos irmãos, chorando com os irmãos, pregando e ensinando com os nossos talentos aos irmãos e edificando os irmãos. E deixemos que cada qual seja esclarecido e convencido pelo Espírito. PbGS - Pb. Glauko Santos, AD do Almerinda, São Gonçalo-RJ.