sexta-feira, 10 de julho de 2009

A VONTADE DE DEUS, A PESSOA DE JESUS E O NOSSO TEMPO

  1. Jesus demonstrou em todas as Suas palavras e atos um extraordinário senso de compromisso e dedicação para com a vontade do Pai, Jo 4.34.
  2. Todo o plano da redenção que Ele decidiu executar aqui na Terra se inseria no contexto do cumprimento dessa superior vontade, de sorte que a sua jamais superou a do Pai e em nada dela diferiu.
  3. Quando me refiro a essa profunda e dinâmica harmonia, estou dizendo que isto envolveu detalhes específicos de Seu ministério, os quais não poderiam e nem deveriam passar despercebidos a qualquer um de nós.
  4. Por exemplo, a escolha do local e da circunstância para a realização de Seu primeiro milagre, tal como narrado em João capítulo 2.
  5. Ele escolheu a insignificante cidade de Caná, para imitar o Pai, que escolheu Belém para o Seu nascimento.
  6. Ele preferiu relacionar o primeiro milagre durante uma festa de casamento porque o primeiro ato miraculoso do Pai para com o homem, depois de criado, foi precisamente o de conceder-lhe uma esposa, e assim lhe proporcionou a imensurável alegria de uma sensação de "bodas".
  7. Isto certamente significa que ambos os primeiros milagres, do Pai e do Filho, pretenderam honrar o matrimônio.
  8. Esse desejo santo, piedoso e permanente de fazer a vontade do Pai está explicado majestosamente em alguns textos bíblicos, especialmente Hb 10.9.
  9. Ao ensinar aos discípulos a oração dominical o Mestre mencionou que sempre devemos desejar que Sua vontade seja praticada na Terra, tendo por modelo o Céu, onde ela nunca é posta de lado.
  10. A vontade maior do Pai em relação às criaturas humanas é salvá-las. Tal era a vontade maior de Jesus. Por assim ser, Ele foi capaz de escolher trajetos mais longos, como no caso de João capítulo 4.
  11. Ele jamais temeu a morte, desde que ela representasse o cumprimento da vontade Paterna, Lc 9.51.
  12. Mas é interessante observar, na leitura do Evangelhos, que o cumprimento da vontade do Pai celestial estava intimamente relacionado com o senso de urgência, devido o pouco tempo de que dispunha para fazer tal vontade.
  13. Mesmo como homem, Jesus sabia que Seu tempo de ministério seria extremamente curto e assim nunca o desperdiçou. Ele utilizou o tempo sábia e exuberantemente.
  14. Maria precisou entender que até o dia das bodas de Caná Seu tempo não havia chegado, Jo 2.4. Os gregos (Jo 12.21-24) foram informados de que Seu tempo havia chegado e no Getsêmani os discípulos foram informados de que esse mesmo tempo estava findando.
  15. Sem dúvida, foi por esse motivo que Ele recusou o convite para permanecer em Jerusalém durante os sete dias de celebração da Festa dos Tabernáculos.
  16. Ele conhecia com total precisão os detalhes do Seu tempo, Jo 7.6,8.
  17. Mateus 26.18 oferece outro grande exemplo desse discernimento.
  18. Muitos dentre nós têm atirado ao lixo o precioso tempo que Deus lhes tem dado. Quando desejarem fazer o melhor para Deus, talvez já não terão o melhor de si mesmos para oferecer.
  19. O dia de hoje é o melhor de todos os tempos, visto que o passado se foi e o futuro ainda não chegou.
  20. Descubra com rapidez a verdadeira vontade de Deus para sua vida, entre em harmonia com ela e tente realizá-la no tempo de Deus.
  21. Eclesiastes três continua advertindo que existe tempo para todas as coisas. Davi serviu a Deus no seu tempo. O inferno estará cheio de pessoas que não tiveram tempo de servir a Deus.
  22. Está o meu querido leitor aproveitando bem o seu tempo e nele está fazendo a perfeita vontade do Pai Celestial?


 


 

5 comentários:

Marcello de Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

1. Nobre Pr Geziel, o que dizer deste texto que encanta os olhos, aquece o coração, enriquece a alma, e traz a vida abudante de Deus? Simplismente orar como o salmista Davi:

" Ensina-me a fazer a tua VONTADE, pois tu és o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por caminho plano" Sl 143.10

Um abraço amigo, amigo

Marcelo de Oliveira

Jorge Baptista, Sr. disse...

Venerando Pastor Gesiel
Muita Paz!

Temos mais uma vez o privilegio de saborear das ricas verdades que o Senhor "nosso" Deus te tem concedido.
A verdade é esta: Nossa vida é vontade de Deus, a vontade de Deus é a nossa vida!

Que o Senhor nao deixe de o abencoar!

Sempre em Cristo,
Pr. Jorge Baptista
Luanda-Angola

Godói211 disse...

É...(longo suspiro) só nos resta pedir ao Pai que nos ensine, guie, dê-nos corações sensíveis a fim de enchergarmos, claramente, em nossas vidas a "BOA, PERFEITA E ARGRADÁVEL VONTADADE DE DEUS..."

paulo alves disse...

Parabéns Pastor Geziel pelo brilhante comentário.Deus mais uma vez seja louvado!Irmão Paulo Alves